">
contato@cienciascontabeis.com.br
contabilidade

Convergência às Normas Internacionais de Contabilidade e a Globalização

A Globalização, que já não novidade para mais ninguém, é um conjunto de modificações na ordem política e econômica mundial visível desde o final do século XX. Trata-se de um acontecimento que criou situações corriqueiras na vertente econômica, social,cultural e política, e que consequentemente fez com que o mundo se tornasse cada vez mais conectado, uma verdadeira aldeia global. A globalização foi e é a configuração de como os mercados de diferentes países se interligam e se aproximam, fazendo com que pessoas, mercadorias, serviços e cultura se tornem mais próximas.

É o rompimento de fronteiras que suscitou um alargamento capitalista, onde é possível realizar transações financeiras e ampliar os negócios – até aquele momento limitado ao mercado interno – para mercados distantes e mais remotos ou emergentes. O abstruso fenômeno da globalização teve início na Era dos Descobrimentos, onde as caravelas dominavam os mares e se ampliou a partir da Revolução Industrial. Foi em decorrência da consolidação do capitalismo, e das melhorias tecnológicos e da necessidade de extensão do fluxo comercial no mundo.

 

O Efeito da Globalização na Contabilidade

Com o mundo todo engajado nesse processo e os mercados cada vez mais interligados, não só os bônus foram divididos, como também o ônus. Foi o caso da recente crise que abalou o mundo, pois com toda essa interligação, as crises em Países como a Grécia tornaram mais frágeis o sistema econômico de outros Países. É comum uma crise no Oriente Médio afetar negativamente Países da América Latina. Como também o crescimento econômico e valorização da moeda em outros Países tem a capacidade de tornar estável a economia de outros, como é o caso da China, que quanto mais cresce e mais importa, torna possível com que Países como o Brasil e outros possam aumentar suas exportações.

Todos esses efeitos fizeram com que o mundo repensasse e providenciasse maneiras para tornar a linguagem dos negócios mais uniforme, de modo a tornar possível uma comunicação mais comum e aceita entre os membros de diversos Países. Pensando nisso, fez-se necessário a criação das IFRS, cuja sigla em inglês significa International Financial Reporting Standards, que traduzido para a nossa língua quer dizer: “Normas e Padrões Internacionais de Contabilidade“.

 

Onde as Normas e Padrões Internacionais da Contabilidade estão inseridas?

Elas estão inseridas em todas as conversas sobre contabilidade internacional pelos principais executivos, legisladores e membros acadêmicos do Brasil. Isto porque, as regras de práticas contábeis modificaram a partir de janeiro de 2010. Desde então, as normas e padrões contábeis brasileiros estão sendo convertidas de acordo com as IFRS´S, ou seja; para as normas e padrões internacionais de contabilidade. Então se a regra mudou, é sinal que a contabilidade também sofreu mudanças.

No Brasil, o governo federal deu o primeiro passo ao alterar a Lei 6.404/76 (Lei das Sociedades Anônimas) pela 11.638/07 e 11.941/09, porém o órgão responsável pela regulamentação das práticas e princípios contábeis no Brasil é o CFC, Conselho Federal de Contabilidade, que emite as Normas Brasileiras de Contabilidade – NBC, que, por sua vez, tem força de Lei federal. Tendo em vista a convergência aos padrões internacionais de contabilidade, houve a criação dos CPC’s que são pronunciamentos emitidos pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis – CPC. Órgão que nasceu pelos esforços de seis destacadas entidades: CFC, IBRACON, Fipecafi, Bovespa, Apimec e Abrasca e representa a expectativa de enormes avanços no caminho da atualização e da modernização de normas e de preceitos contábeis. Esse órgão é o responsável por traduzir as IFRS’s para o português e tornar possível a convergência.

A grande razão pela qual o mundo precisa de uma contabilidade uniforme é devido ao fato de se tornar mais fácil a análise das informações financeiras entre os países, pois o investidor na Europa poderá olhar o Balanço Patrimonial de uma País na América do Sul, compreendê-lo, e assim tomar decisões. Com isso, as transações entre os Países torna-se mais rápida e segura uma vez que há maior uniformidade entre nas suas informações econômicas, financeiras e contábeis.

Conclusão

Pode-se então inferir que todo o sistema de globalização acabou desaguando no processo de uniformização da contabilidade e de sua recente convergência das normas e regras nacionais aos padrões da contabilidade internacional. No mundo cada vez mais interligado, a contabilidade agora passou a ser mais uma ferramenta para o desenvolvimento das nações, podendo, assim, ajudar no processo de desenvolvimento e crescimento econômico de todos os países do mundo.

Sobre o Autor
Marcos Guimarães - Graduado em Ciências Contábeis, MBA em Finanças, Mestrando na Área de Tributação pela Universidade Católica Argentina. Contador, professor das disciplinas de Contabilidade Avançada, Gestão Tributária, Contabilidade Tributária, Contabilidade Empresarial, entre outras.