">
contato@cienciascontabeis.com.br
contabilidade

Índices de Liquidez: Um alerta empresarial

É algo já constatado que hoje a contabilidade não tem um foco apenas voltado ao registro das informações. É essencial que o profissional contábil dos tempos atuais, exerça o papel de importante auxiliador nas tomadas de decisões das organizações. Para que o contador possa atender esta demanda de exigências de forma didática ao entendimento dos empresários, foi preciso utilizar-se de ferramentas junto às demonstrações contábeis para apresentar a situação em que a empresa se encontra.

Existem diversas análises a serem utilizadas para a melhor compreensão do panorama econômico-financeiro dentro da entidade, sendo um deles os índices de liquidez. Inserido nesta análise, existem quatro aplicações diferentes para melhor evidenciar a solvência da empresa. Temos:

Liquidez Geral – Mostra quanto à empresa tem de recursos no longo e curto prazo para cada real de dívida (AC+RLP/PC+PNC);

Liquidez Corrente – Mostra quanto de recursos a empresa tem no curto prazo para cada real de dívida de curto prazo (AC/PC);

Liquidez Seca – Mostra quanto a empresa tem em itens de maior liquidez do seu ativo para cada real de dívida no curto prazo (AC-Estoques-Despesas Antecipadas/PC);

Liquidez Imediata – Mostra quanto a empresa obtém de recursos que podem ser utilizados sem depender de realizações para pagar cada real de dívida em curto prazo (Disponível/PC).

downloadAtravés destas fórmulas é possível conhecer algumas informações rápidas e importantes da empresa. Com a finalidade de mostrar a capacidade de pagamento das próprias dívidas no curto e longo prazo, é possível diagnosticar e tratar desequilíbrios, tais como grandes saldos a serem realizados no longo prazo em relação a um volume maior de dívidas de curto prazo. Com esse cenário mantido a empresa dependerá de todo o recurso que pode gerar para saldar as obrigações, sem “espaço” para nenhuma perda operacional ou administrativa.

Outra variável que deve ser analisada é a tendência. Suponhamos que a empresa XBeta S.A. obteve os seguintes valores na aplicação dos índices:

Índices 20×1 20×2 20×3
Liquidez Geral 2,00 1,95 1,88
Liquidez Corrente 1,80 1,77 1,70
Liquidez Seca 1,50 1,35 1,30
Liquidez Imediata 1,20 1,15 1,10

Neste caso, os índices de liquidez são bons, porém, nos últimos três anos vêm caindo de forma constante. Esta tendência deve ser indagada e analisada pelos profissionais contábeis, que encontrarão suas causas, como por exemplo, grandes altas de valores no passivo, transferência de obrigações de longo para curto prazo, aumento na conta de imobilizado devido aquisições recentes, aumento dos estoques e consequentemente menor rotação do mesmo, etc. O contador-gestor tem função de analisar de forma critica esses índices e elencar medidas que retomem o crescimento financeiro da sociedade.

indices-de-liquidezPara que possa conhecer a real situação desses índices, o primeiro passo do profissional é ter posse das informações do Balanço Patrimonial. É importante que seja verificado quais alterações de valores ocorreram nas contas patrimoniais em relação aos períodos anteriores, principalmente as de maior relevância.

No exemplo que vimos acima, é preciso verificar cada ponto com cautela. Existem meios nos quais é possível recuperar os resultados anteriores tratando de alguns itens cruciais.

A diminuição da compra de estoques fará com que o mesmo não se acumule desnecessariamente na empresa, ocasionando um giro rápido e melhorando sua liquidez seca.

A busca por melhores preços na aquisição de itens e serviços para a sociedade, planejamento tributário para pagamento lícito do menor valor de impostos possível, revisão dos gastos com a folha de pagamento, afetará positivamente a estrutura patrimonial, principalmente em sua liquidez corrente.

A liquidez imediata trata exclusivamente daquilo que a empresa tem de capacidade de pagamento “naquele momento”, sem restrições, para quitar suas dívidas. A melhora desses números passa indiscutivelmente pela movimentação financeira da empresa. Quando se concilia prazos menores de recebimento com prazos maiores de pagamentos, mexerá positivamente no ciclo financeiro e, consequentemente, este índice terá significativas melhoras.

A construção de todos esses “ajustes” que podem ser inseridos na organização fará com que a empresa volte ao rumo saudável que tinha nos anos anteriores, e, sua manutenção, poderá elevar os números nos próximos anos.

É... foi um bom artigo, não? ;)
Assine e receba GRATUITAMENTE as melhores dicas relacionadas à contabilidade!
Sobre o Autor
Renato Gonçalves Caram residente em Paulina-SP. Bacharel em Ciências Contábeis pela Universidade Paulista(UNIP). Atuando em um escritório de contabilidade como Coordenador Contábil do setor.